Tempo aproximado de leitura: 3 min

Bem vindos amigos: É uma satisfação enorme tê-los aqui…

Você já percebeu quanto a sua vida é baseada em decisões?

Você escolhe seus amigos, o que comer, onde morar, com quem se relacionar, qual profissão, qual caminho irá fazer, entre outros. Normalmente essa decisão é baseada em seu conhecimento sobre o assunto. Em situações em que não temos conhecimento, pedimos auxílio de alguém que sabe mais que nós. Pais, professores, amigos são algumas pessoas que nos ajudam nas escolhas ao longo da vida. Em determinados momentos, solicitamos que um profissional nos ajude. Pode ser um encanador, eletricista, taxista, policial, entre tantas possibilidades.

Em algumas situações a orientação se torna um pouco mais difícil. Quando temos um problema de saúde, recorremos ao médico. Por que? Porque ele é um profissional, que estudou o assunto e pode te orientar de forma adequada. O mesmo ocorre com o advogado.

E quando temos um problema financeiro?

Se você pensou por alguns instantes isso é um mau sinal. Já pensou se você tivesse com algum problema de saúde e não soubesse a quem recorrer?

Se você pensou no gerente do banco, talvez isso seja outro problema. Vejamos: Se um médico fosse representante de um determinado laboratório farmacêutico, você estaria confortável em se consultar com ele? Ou será que haveria um “conflito de interesses”? Penso que você entendeu que esse médico indicaria para o seu tratamento uma medicação do laboratório que ele trabalha/representa. Pergunto: Será que é a melhor solução para você?

Qual a diferença para o problema financeiro e o gerente de banco? Nenhuma… Uma frase muito utilizada pelos especialistas em finanças é: “o gerente de banco é funcionário do banco e não seu”. O que eu costumo dizer é: “na dúvida, o gerente de banco vai priorizar a própria necessidade e não a do cliente. Ele tem meta a cumprir. Ele pode até te orientar corretamente, desde que esteja adequado ao seu interesse. Isso nem sempre acontece (pra não dizer nunca)”.

Escolhas… Você tem ideia do resultado de uma escolha financeira errada? Isso é assunto para o próximo post… Voltando ao assunto principal…

Esse é o papel do consultor! O consultor é um profissional que estudou sobre o assunto e deve orientar o cliente da melhor forma. A grande diferença é que o consultor não deve estar vinculado a nenhum produto ou empresa. Dessa forma, não haverá nenhum conflito de interesse. O único interesse do consultor deve ser orientar o cliente a tomar a melhor decisão.

No próximo post mostraremos o resultado de uma escolha financeira errada.


 

A propósito: Se você precisar eu estou disponível. :)